sábado, 9 de julho de 2016

Ciclista vai ferido ao hospital após colisão com ônibus

O ciclista foi atropelado por ônibus de uma empresa interestadual na Av. Pinheiro Machado (BR 343). O acidente ocorreu na noite deste sábado (09/07) quando um homem de identidade não revelada trafegava de bicicleta por volta das 19h30min em visível estado de embriaguez.
Ele colidiu na lateral do ônibus quando tentou desviar de um carro que saía do estacionamento da rodoviária. Com escoriações pelo corpo ele recebeu atendimento médico do SAMU e foi levado ao hospital Dirceu Arcoverde.

O motorista do veículo aguardou a Polícia Rodoviária Federal para registro do ocorrido. Chamou atenção o fato do ônibus não sinalizar a via como é obrigatório até mesmo para veículos de passeio. A falta de sinalização provocou tumulto no trânsito durante atendimento a vítima, porque mesmo com luz de alerta ligada, motoristas paravam atrás do ônibus para ver o ocorrido e não sabiam que estava parado por conta do acidente.

Carro freia por cerca de dez metros, mas não consegue evitar acidente com moto

Acidente ocorrido na tarde desta sexta-feira (08/07) feriu gravemente um motociclista com fratura no braço, após ser colhido por um carro em alta velocidade que tentou frear, deixando marcas no asfalto, mas não conseguiu evitar o acidente.
O fato ocorreu por volta das 16 horas no cruzamento das ruas Xavante com Itaúna no Bairro Pindorama. O motociclista identificado por “Fábio” seguia na Itaúna e quando reduziu velocidade para dobrar na Xavante, foi surpreendido por um veículo Honda Civic dirigido por jovem identificado por “João”.

O SAMU foi ao local atender a vítima que apresentava muita dor, após os primeiros socorros foi levado ao hospital Dirceu Arcoverde. A Polícia Militar registrou o ocorrido e teve que rebocar o carro e a moto por falta de documentação.
Edição: Blog do Pessoa

Violência contra mulher: Foi agredida, expulsa de casa e demitida por acusação de traição

Denúncia chegou a nossa redação envolvendo agressão e difamação contra mulher e acusa também uma rede de supermercados parnaibana onde a agredida trabalhava na Rua Pedro Segundo no centro, e foi demitida após as acusações que partiram do seu esposo e agressor.

De acordo com a denúncia o esposo agrediu sua mulher e a expulsou de casa na quarta-feira (06/07) e no dia seguinte foi até o trabalho dela denegrir sua imagem, sobre uma suposta traição com outro funcionário. A direção solicitou sua presença no mesmo dia (07/07 sua folga) para uma reunião sobre o caso e não apresentou nenhuma prova e nada foi decidido, mas ao retornar de sua folga, na manhã desta sexta- feira (08/07) trabalhou normalmente e à tarde o supermercado deu sua carta de demissão, sem apresentar justa causa, remetendo aos fatos.

Ela contou ainda para nossa reportagem que após discutir com seu esposo, o mesmo tentou jogar ela na rua despida, mas ela consegui se vestir rapidamente e mesmo assim, ele a expulsou de casa juntamente com sua enteada menor de idade. “O caso está nas mãos da delegada Maria de Jesus Pereira Bastos e medidas judiciais serão tomadas para que a lei seja obedecida, tenho uma filha para sustentar e fui expulsa de casa por agressão e ainda perdi meu emprego, quero justiça”. Disse a denunciante. Na tarde desta sexta-feira (08/07) que foi demitida ela informou que vai mudar seu depoimento mediante os fatos ocorridos pós agressão.
Não conseguimos contato com o acusado que é gerente de núcleo em uma " Mega loja de eletrodomésticos" situada na Av. Pinheiro Machado em Parnaíba. Pessoas ligadas ao casal disseram não saber o paradeiro do acusado que chegou a ser procurado pela polícia. O caso segue sob investigação na delegacia da mulher.
Edição: Blog do Pessoa

Agenda Cultural neste sábado em Parnaíba

Um show marcante está chegando aí! Sábado o República Pub promove uma noite cheia de Rock e qualidade pra uma galera exigente e alto astral! Um show performático e eletrizante se aproxima e você ainda delira com o som da banda The Lira e seu repertório fora do comum! Sábado tem ‪#‎anoitedorock no República Pub e a gente se encontra lá!‪#‎RepúblicaPub ‪#‎SuasNoitesMerecem

O rock anos 90 deixou saudades e vai ser relembrado hoje no República Pub com a banda Rockbitez direto de Fortaleza! A noite começa com a The Lira e tem Devassa liberada até 00h! Está imperdível!

Pessoal de Parnaíba e região, tem muita cerveja boa esperando vocês neste sábado!!!
Confiram aí:

Uma noite com boa música, humor e alegria.
Por favor, compartilhem. Butiquins e Blues.
Edição: Blog do Pessoa

Carro bate em motocicleta e derruba telhado de padaria em Parnaíba

O condutor de um carro de passeio modelo Fiat Way bateu em uma moto e derrubou o telhado de uma padaria depois de perde o controle da direção. O acidente aconteceu na Avenida Principal do conjunto Joaz Souza na noite de ontem sexta-feira (08).





A condutora da motocicleta modelo Honda Biz foi socorrida pelo Samu para o Hospital Dirceu apenas com ferimentos leves. O motorista e outro ocupante do veiculo não se feriu.

De acordo com informações de testemunhas, o veículo estava em alta velocidade e não conseguiu desviar da moto. Após a batida o motorista ainda tentou fugir do local, mas foi contido por populares. A Polícia Militar insolou a área ate a chegada do policiamento de trânsito que registrou a ocorrência. 

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Nova lei obriga uso dos faróis baixos durante o dia

A partir desta sexta-feira (08) passa a vigorar a Lei 13.290, de 16 de maio de 2016, em todo o Brasil
Entra em vigor no próximo dia 08 de julho a Lei 13.290, de 16 de maio de 2016, que torna obrigatório o uso de farol baixo aceso durante o dia nas rodovias. A lei alterou dois artigos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB): os artigos 40, inciso I e o artigo 250, inciso I, alínea b. Nas duas situações, a nova redação acrescenta as palavras “nas rodovias”. Assim, a partir do dia 08 de julho, os condutores deverão acender os faróis baixos em todas as rodovias.
A nova norma também prevê a multa para o condutor que não seguir a recomendação da Lei 13.290. A infração é média, com quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e multa no valor de R$ 85,13. Vale lembrar que em novembro, a infração média passará para o valor de R$ 130,16.
A obrigatoriedade não é uma novidade para o condutor, já que o CONTRAN, em 1998, emitiu a Resolução 18/98, que recomenda o uso dos faróis em luz baixa com as seguintes justificativas: O sistema de iluminação é elemento integrante da segurança ativa dos veículos; as cores e as formas dos veículos modernos contribuem para mascará-los no meio ambiente, dificultando a sua visualização a uma distância efetivamente segura para qualquer ação preventiva, mesmo em condições de boa luminosidade.
A norma é simples, mas tem gerado confusão em relação a qual luz o condutor deve deixar ligada. A nova lei diz farol baixo, diferente do farolete, farol de milha, farol de neblina e Daytime Running Light (DRL). A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informa que enviou ao Conselho Nacional de Trânsito (Contran) um questionamento sobre a utilização do DRL, também conhecido como farol de rodagem diurna. Até manifestação formal e definitiva do Contran, a PRF aceitará a utilização do DRL em substituição ao farol baixo durante o dia.
Farol Baixo x Lanterna – Muitos condutores ainda têm dúvidas sobre a nova norma. O farol baixo não pode ser confundido com a lanterna ou luz de posição. A lanterna não substitui o farol baixo dentro da nova regra. O farol baixo é o mesmo utilizado durante a noite, destinado a iluminar a via diante do veículo, sem ocasionar ofuscamento ou incômodo injustificáveis aos condutores e outros usuários da via que venham em sentido contrário. O uso do farol baixo não é apenas para garantir que o motorista veja o que está à sua frente, mas também, para que seja visto por outros motoristas e pedestres.
O uso simultâneo do farol baixo e do farol de neblina não é considerado infração de trânsito. Contudo, a PRF informa que o uso apenas do farol de neblina durante o dia, sem o acionamento do farol baixo nas rodovias, deverá ser enquadrado no artigo 250, I, b, do CTB.

PRF - LIGUE 191

PI: Justiça pede prisão de médico por falta de vaga em UTI

Na noite desta quarta-feira (06/07) a Justiça do Piauí ameaçou prender um médico plantonista do Hospital de Urgência de Teresina (HUT). A prisão ocorreria se ele não conseguisse uma vaga em leito da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para paciente em estado grave.
Na decisão diz ainda que se a determinação não for cumprida o diretor da unidade e o médico poderiam ser encaminhados à Central de Flagrantes e autuados por crime de prevaricação e ainda pagarem multa de R$ 1 mil a cada dia de descumprimento da decisão.
O Conselho Regional de Medicina (CRM-PI) repudiou a decisão da Justiça e lembrou que esse é o terceiro caso de mandato judicial em menos de dois anos em Teresina.
Veja abaixo a nota do CRM
NOTA DE REPÚDIO
O Conselho Regional de Medicina do Estado do Piauí – CRM-PI vem a público expedir NOTA DE REPÚDIO à decisão judicial proferida nesta terça-feira, 05/07/16, pelo Juiz de Direito da 6ª Vara Cível da Comarca de Teresina, Dr. Édison Rogério Leitão Rodrigues, o qual determinou, por meio de mandado, que Oficial de Justiça cumprisse Medida Liminar, determinando que o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) transfira paciente para um leito de UTI na mesma unidade de saúde ou em outro hospital da rede pública ou ainda para hospital particular em Teresina, às expensas do município.
Na decisão, o Juiz Édison Rogério Leitão Rodrigues intima o diretor do HUT e o médico plantonista da UTI a cumprirem a sua decisão, esclarecendo que, no caso de não cumprimento, tanto o diretor quanto o médico poderão ser conduzidos à Central de Flagrantes e responsabilizados criminalmente por prevaricação (art. 319, do Código Penal), além de pagarem multa de R$ 1.000,00 por dia de descumprimento da decisão. O mandado ainda vai mais longe e afirma que “fica ainda esclarecido ao médico plantonista e responsável pela UTI que caso o requerente venha a falecer fora de uma unidade de tratamento intensivo, poderá ser responsabilizado civil e criminalmente pelo óbito”.
O CRM-PI lembra que este é o terceiro caso de mandado judicial, em menos de dois anos, nesta capital do Piauí, que expõe o médico a situação de risco iminente, uma vez que vem sofrendo coerção por meio do Poder Judiciário em relação a mandados judiciais abusivos e arbitrários. Além disso, a decisão do juiz em questão demonstra a total falta de conhecimento técnico sobre as rotinas de um hospital público de urgência, no qual o médico ou a equipe médica é que possuem competência para julgar se um paciente precisa ou não de internação em leito de UTI e, em caso de não haver vaga, tal responsabilidade cabe ao Estado ou ao Município, na pessoa de seus gestores, para suprirem a demanda de vagas em UTI. O médico plantonista sequer pode deixar o seu plantão, onde vidas dependem de seus cuidados. Também não é o médico que deve determinar que um paciente grave deixe de ocupar um leito de UTI para atender a um mandado que determina que outro paciente o ocupe, pois, dessa forma, estaria agindo de forma antiética ao colocar em risco vidas humanas sob a sua responsabilidade.
Nesse sentido, a inconsequência de decisões judiciais tem colocado em risco o trabalho do médico, quando medidas como essa deixam a sensação de medo e de tensão. O médico não pode ser responsabilizado pela falta de leitos ou de estrutura na Saúde Pública. O CRM-PI informa que a medicina é uma profissão de meio, não de fim, e que a função precípua do médico é utilizar de todas as vias possíveis e que estejam ao seu alcance para salvar vidas, não podendo ser responsabilizado pela ocorrência do óbito de um paciente, após ter utilizado de todos os procedimentos legais e cabíveis. Assim, o profissional médico não pode ser refém de uma atitude impensada de um juiz que profere uma decisão em tom de ameaça, quando esse mesmo juiz afirma que o médico pode ser responsabilizado civil e criminalmente em caso de morte de paciente que não obtenha um leito de UTI. Ao proferir sua decisão, o magistrado não considerou a alta demanda de pacientes que necessitam de tratamento em Unidades de Terapia Intensiva e a insuficiência de vagas em leitos de UTI nas unidades nos hospitais públicos desta capital.
O método utilizado pela justiça para garantir vaga inexistente em UTI impede que os médicos deixem de utilizá-la de forma técnica e mais justa, diante da notória insuficiência de leitos.
O médico plantonista é a figura mais fraca, uma vez que se encontra na ponta final do atendimento, não podendo ser responsabilizado pelo óbito de paciente que necessita de uma vaga de internação em UTI, mas não a consegue pela insuficiência de leitos.
Assim, o Poder Judiciário deve propiciar os meios necessários para se buscar, junto aos verdadeiros responsáveis, a oferta da estrutura suficiente para que os médicos possam desenvolver seu trabalho de forma adequada e justa e não responsabilizar o médico pela morte de um paciente que não se encontra sob seus cuidados.

Por esses motivos, repudiamos a decisão do Juiz de Direito da 6ª Vara Cível da Comarca de Teresina, Dr. Édison Rogério Leitão Rodrigues, por ser completamente dissonante do ordenamento legal.
CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DO PIAUÍ - CRM-PI
Leia também nota na íntegra do HUT
A direção do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) vem por meio desta esclarecer que sempre atendeu e continua atendendo todos os mandados judiciais que chegam ao Hospital. O HUT possui leitos de UTI acima do recomendado pelo Ministério da Saúde, que preconiza um mínimo de 6% do total de leitos. Atualmente, o Hospital mantem 11% dos seus leitos adequados a Terapia Intensiva.
A direção lamenta a situação precária da saúde no país e entende que esta conduz o poder judiciário a tomar decisões equivocadas com consequências danosas para a saúde da população, pois o método utilizado para garantir leito de UTI inexistente, está preterindo outros pacientes, cujo diagnóstico médico indica a real necessidade do referido tratamento. Os pacientes em estado grave são reavaliados a cada seis horas, definindo-se aqueles que necessitam de terapia intensiva.
A aplicação dessa rotina pode modificar as prioridades entre pacientes graves no que tange a ocupação de leitos de UTI. Portanto, o critério de admissão de pacientes em leitos de UTI segue o estabelecido por protocolos médicos especializados que garantem de forma justa a manutenção de uma assistência segura a todos que necessitam de atendimento nesta área.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

"Calçadão" não passou por revitalização e empresários sofrem na escuridão e falta de segurança

Parte dos empresários do Calçadão Marechal Deodoro no centro estão solicitando a prefeitura de Parnaíba (PI), iluminação e segurança. Segundo eles é ariscado sair um pouco mais tarde de suas lojas devido a escuridão e a insegurança. Pedidos para iluminação já foram protocolados.
“Já precisei ir em minha loja a noite e tive muito medo ao me deparar com dois meliantes usando drogas, fica ariscado ir à noite, mesmo com lâmpadas em nossas lojas, sem falar que os bandidos roubam as lâmpadas que colocamos”. Disse um empresário que prefere não aparecer.

O “calçadão” como é conhecido, é cheio de barracas com produtos à venda durante o dia e a noite estes locais de venda servem como local para os maus intencionados se esconderem e atacar alguém que por ventura se arisque passar a noite pelo local. Os empresários acreditam que a iluminação e constante vigilância dos guardas patrimoniais evitaram ações criminosas. A Prefeitura prometeu revitalizar o local, mas até hoje nada foi feito.
Por: Denílson Freitas/Blog do Pessoa

Motociclista é colhida por micro ônibus ao andar na contra mão no centro de Parnaíba

 No início da tarde desta quarta-feira (06/07) uma mulher foi arrastada por um ônibus da Coopertranp (Cooperativa do transporte alternativo em Parnaíba) no Centro da cidade de Parnaíba (PI). Segundo populares que presenciaram o fato a mulher seguia na contra mão da Rua Lima Rebelo em uma moto com placa de Santa Inês (MA).
“A jovem nasceu de novo hoje neste acidente após ser arrastada por alguns metros e ela não sofreu nada, além de algumas escoriações”. Disse um internauta em sua página no facebook. O SAMU foi socorrer a vítima e encaminhou ela ao hospital Dirceu Arcoverde.

A moto ficou com parte embaixo do ônibus e foi retida com a chegada da polícia militar que registrou o ocorrido. Ninguém sabe por qual motivo a vítima seguia na contra mão, mas por ser uma placa de fora, ela pode ter se confundido no trânsito.

Por: Denílson Freitas/Blog do Pessoa

terça-feira, 5 de julho de 2016

Roubos a veículos no Piauí crescem no primeiro semestre de 2016

Delegacia de Polícia Interestadual (Polinter) investiga roubos a veículos (Foto: Fernando Brito/G1)Delegacia de Polícia Interestadual (Polinter) investiga roubos a veículos (Foto: Fernando Brito/G1)
Um levantamento realizado pela Polícia Interestadual do Piauí (Polinter) apontou que nos primeiros seis meses do ano o estado já registrou 1.747 casos de roubos e furtos a veículos. No mesmo período do ano passado, esse número era de 1.484. Um aumento superior a 15% em comparação com 2015.
Segundo os dados da polícia, os roubos a mão armada continuam sendo os mais comuns. Enquanto que em 2015, foram 1174 carros e motos roubadas, em 2016 foram 1.269. Quem foi vítima recentemente e teve o carro roubado foi a mãe do senhor José Francisco Rodrigues, de 42 anos, Filomena Rodrigues, de 70 anos, que mora no bairro Dirceu, Zona Sudeste de Teresina.
Vítima relata roubo a veículo na própria residência (Foto: Fernando Brito/G1)Vítima relata assalto a veículo sofrido no comércio da
família (Foto: Fernando Brito/G1)
Ele conta que pelo menos quatro criminosos, dentre eles três homens e uma mulher, chegaram armados no estabelecimento comercial da família que fica em um sítio no povoado Santa Tereza, zona rural da capital, abordaram a vítima e anunciaram o assalto.
"A mulher que estava com eles até chegou a entrar no comércio fingindo que ia comprar algo. Ficou bisbilhotando o que tinha e perceberam o carro na garagem. Dois entraram no comércio, um estava com a arma e entrou para pegar o carro. Não tinha o que fazer, minha mãe teve que entregar as chaves", disse.
Francisco conta que não deixou barato. Estava próximo ao local quando o crime aconteceu, ligou para a polícia, empreendeu fuga atrás dos criminosos e recuperou o veículo. Dois foram presos. Na segunda (4), ele era um dos mais de 30 a passar pela manhã na Polinter para recuperar o veículo.
"Infelizmente a sensação é de insegurança. Soube que os criminosos já vão ser soltos. Pelo menos não aconteceu nada com minha mãe e já estamos aqui para recuperar o veículo", contou.
Outra vítima que não quis ser identificada na reportagem teve a moto furtada. E por incrível que pareça, por um conhecido que mora na mesma rua da vítima. Para disfarçar, o criminoso ainda trocou a placa da moto por outra placa que estava regularizada e camuflou a motocicleta com adesivos e outros acessórios.
"Cheguei no hospital, estacionei a moto e quando fui embora ela não estava mais lá. Suspeitei de um homem que mora na minha rua porque outro dia ele me perguntou se ela tinha rastreador. Estranhei. Até já tinha emprestado uma vez a moto para ele. Acredito que ele só conseguiu levar minha moto porque fez uma cópia da chave. Dias depois a vi estacionada na porta da casa dele e acionei a polícia", disse.
Delegado Cadena Júnior fala sobre roubos a veículos (Foto: Fernando Brito/G1)Delegado Cadena Júnior fala sobre roubos a veículos no Piauí (Foto: Fernando Brito/G1)
Para o delegado da Polinter, Cadena Júnior, recém empossado como titular da delegacia, de 60% a 70% dos veículos roubados são apreendidos e restituídos aos donos. Os outros são revendidos ou passam por desmanches.
"Por isso é preciso fazer as vistorias desses bens. Se a pessoa compra um veículo de terceiros e não faz a vistoria para detectar se esse veículo é adulterado ou não, ela pode responder processo de receptação e adulteração de numeração veicular, que também é crime e pode pegar entre dois e três anos de prisão", contou.
G1

O primeiro “Rally 40 Graus” que aconteceu em Parnaíba

Foi na gestão do jornalista Arlindo Leão (O Piaguí Culturalista) à frente da superintendência municipal de esporte que aconteceu a 5ª edição do campeonato de mountain bike (estilo maratona, prova acima de 50 km), denominada “Rally 40 graus”, pela primeira vez em Parnaíba, etapa válida pelo ranking nacional de provas de mountain bike, no dia 7 de dezembro de 2014.
            O diretor técnico do evento foi Alberto Luiz Barreto Chaves e contou com a participação de competidores vindos de todas as partes do Brasil.
            Foi com Arlindo Leão à frente do esporte da cidade, que Parnaíba realizou, consoante ao I Fórum de Gestão Esportiva, os primeiros jogos olímpicos estudantis de sua história, com 11 modalidades: natação, basquete, ciclismo (mountain bike), futsal, futebol de campo, handebol, atletismo, tênis de mesa, vôlei de quadra, xadrez e jiu-jitsu. Arlindo Leão preparava um planejamento para dobrar a quantidade de modalidades nas olimpíadas do ano seguinte, mas teve que deixar o cargo.    
A atual administração municipal havia desativado a secretaria de esporte, criando a superintendência, depois resolveu reativar a secretaria, mesmo assim, quase nada se sabe a respeito de políticas públicas voltadas para a juventude da nossa cidade.
Ascom

Piauí registra 153 casos suspeitos de H1N1 e 20 mortes somente em 2016

 Sobe para 18 o número de mortes por H1N1 no Espírito Santo, vacina (Foto: Romero Mendonça/Secom)Sobe para 20 o número de mortes por H1N1 no Piauí (Foto: Romero Mendonça)
De janeiro e julho de 2016, o Piauí registrou 153 casos suspeitos de Influenza A (H1N1), com todas as amostras coletadas para realização de exames laboratoriais. Deste total, 20 evoluíram para óbito, o que equivale a 13,1%.
Dos casos suspeitos notificados dois tiveram resultados confirmados por Influenza A (H1N1), 15 por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) não especificada, um caso foi isolado para Adenovírus e 126 aguardam resultados laboratoriais para sua conclusão.

Para o tratamento da Influenza, foram disponibilizados 7.500 doses de antiviral Oseltamivir, de nome comercial Tamiflu. Havendo suspeita de Influenza H1N1, o paciente é submetido à medicação e ainda é recolhido amostra para exame laboratorial.

As amostras coletadas desses pacientes estão sendo processadas no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, que é o serviço de referência para este agravo. A demora no recebimento dos resultados deve-se a demanda elevada do número de casos.

Medidas preventivas
Frequente higienização das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento, cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir, evitar compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.
G1 - Piauí